editorial _636.jpgPALAVRA DO PRESIDENTE

Instituto de Engenharia: uma vida dedicada ao crescimento do Brasil

Entidade centenária, sem fins lucrativos, pautada pela neutralidade e corroborada pela excelência técnica da engenharia nacional, o Instituto de Engenharia vem empreendendo nos últimos anos discussões, encontros, fóruns e reuniões com foco no desenvolvimento de propostas que permitam a construção do que chamamos “Projeto Brasil”.
Já condessou sete trabalhos realizados pelas 32 divisões técnicas do Instituto, construídos a partir da interação com as mais diversas fontes do conhecimento em pesquisa, inovação e tecnologia do país, envolvendo governo, academia e entidades privadas.
Seus times de especialistas trabalham com horizontes de longo prazo, projetando cenários para o futuro e, neles, têm grandes desafios: 9,772 bilhões de habitantes no planeta Terra (em 2050), aumento necessário de 70% da produção mundial de alimentos e de 41% da produção brasileira. Hoje, o Brasil já alimenta 1,2 bilhão de pessoas ao redor do mundo.

A demanda mundial por uma maior produção de alimentos, sem prejuízos ao meio ambiente, bem como a necessidade de infraestruturas inovadoras e eficientes, de escoamento e armazenagem, levou a instituição a desenvolver estudos de ocupação sustentável do território nacional, com foco na Ferrovia associada ao Agronegócio.

Integração intermodal inteligente
O Instituto de Engenharia, por meio de seus estudos, visa também ajudar o Brasil a enfrentar a ameaça da insuficiência de sua infraestrutura logística, tanto nas vias de escoamento da produção, como nos portos. Os voluntários das Divisões Técnicas visam repensar os sistemas hidroviários (com peso de apenas 11% na matriz de transportes), a fim de maximizar a cabotagem, integrar e equilibrar a logística ferroviária e rodoviária, além de aperfeiçoar os sistemas, consolidando-os como molas propulsoras da grande expansão das cidades.

“Um trem padrão com 134 vagões substitui 500 carretas de minério de ferro”.

Hoje, entre 10% e 12% dos agrosserviços se associam à logística, comercialização, financiamento e tecnologia, mas sabemos que apenas 21% da produção brasileira de cargas é movimentada pelas ferrovias e 13% pelas hidrovias – sejam elas interiores ou de cabotagem.

“Um veículo aquático, com quatro barcaças empurradas, substitui 175 vagões ferroviários e 280 caminhões pesados de transportes”.

Todo conhecimento técnico e científico dos membros do Instituto de Engenharia vem sendo aplicado na modelagem e no mapeamento de ações e soluções que permitam ao Brasil ser, já em 2035, o principal supridor mundial de alimentos saudáveis, prontos e semiprontos para consumo. Com base no desenvolvimento futuro do agronegócio, a instituição mapeou toda a cadeia de valor que vai da plantação à criação de gado, com especial atenção ao Paralelo 16 e à rede estrutural, envolvendo os modais rodoviário, hidroviário, marítimo e ferroviário.

Por mais organização e eficiência no transporte urbano
No âmbito metropolitano urbano, cerca de 45 técnicos especializados em mobilidade e logística discutem, desde 2017, a necessidade de instalação de uma governança metropolitana de transportes e da Autoridade Metropolitana. A ideia é tornar o projeto referência em autoridade organizada do transporte, coordenação da oferta, integração, física e tarifária das redes, introdução de sistemas inteligentes de supervisão operacional – de trens, metrôs, ônibus e trânsito.
Com uma frota de 8,7 milhões de veículos, sendo 6,1 milhões apenas na cidade de São Paulo, há um carro para cada duas pessoas e inadmissíveis congestionamentos que se multiplicam nos vários municípios do aglomerado urbano. Isso causa perdas de bilhões de reais nos setores da saúde, economia, segurança, educação e logística.
O desafio da engenharia é criar e utilizar boas práticas em projetos que atendam às necessidades da sociedade, por meio do uso responsável e menos perdulário dos recursos naturais.
Ao abrir as portas para essas discussões fundamentais, o Instituto de Engenharia pretende contribuir para o desenvolvimento sustentado do país para essas discussões fundamentais, o Instituto de Engenharia pretende contribuir para o desenvolvimento sustentado do país.

Site Login