OBRAS DO 4º LOTE DO CINTURÃO DAS ÁGUAS DO CEARÁ SÃO RETOMADAS

CINTURÃO DAS ÁGUAS DO CEARÁOBRAS DO 4º LOTE DO CINTURÃO DAS ÁGUAS DO CEARÁ SÃO RETOMADAS

Construção dos canais e sifões que levarão as águas do rio São Francisco ao sertão cearense levará dois anos e custará cerca de R﹩ 500 milhões.

A Passarelli, há 88 anos uma das maiores empresas do Brasil em soluções inteligentes e completas de Engenharia e Construção, dos quais 55 no setor de Saneamento, retoma em agosto as obras do Lote 4 do primeiro trecho do Cinturão das Águas do Ceará (CAC), um projeto do governo do Estado. As obras, que haviam sido paralisadas a pedido do governo, para que todo empenho fosse voltado à finalização dos Lotes 1 e 2, entregue em agosto, também por consórcio liderado pela Passarelli, devem ficar prontas em dois anos e irão custar cerca de R﹩ 500 milhões.

Graças às obras realizadas pelo consórcio liderado pela Passarelli, as águas do rio São Francisco abastecerão milhares de moradores, pequenos agricultores e criadores de algumas regiões do interior e da região metropolitana de Fortaleza, no Ceará.

Considerado o lote tecnicamente mais complexo para ser executado, uma vez que se trata de um trajeto mais rochoso e trabalhoso para escavar, o Lote 4 possui 34 km de canais e sifões de 2,80 metros de diâmetro, construídos para suportar uma vazão de 30m³ de água por segundo, o suficiente para abastecer uma cidade três vezes maior do que Fortaleza.

"Nós, da Passarelli, estamos 100% empenhados em concluir essas obras, que são tão importantes para o Nordeste brasileiro, e buscamos contribuir com a nossa expertise e capacidade técnica para que as águas do Velho Chico tragam mais saúde e vida para a população", explica Décio Dias, Gerente Comercial da Passarelli.

Ao todo, serão utilizadas 130 mil m³ de concreto e realizados serviços de terraplenagem em um volume de 5 milhões de m³ para construir os canais, túneis e sifões necessários para transportar o volume de água. Para a construção, durante o pico de atividade, serão mobilizados cerca de 1.000 funcionários em diversas frentes para finalizar as obras.

O CAC é um arrojado projeto de transferência de recursos hídricos entre 12 bacias hidrográficas do Ceará. O empreendimento tem como objetivo assegurar água para consumo humano e para projetos agropecuários e industriais no interior, perenizando rios e garantindo o suprimento permanente para as populações do semiárido, além de garantir o abastecimento de Fortaleza e do Porto do Pecém.

Em sua totalidade, o projeto do CAC prevê a construção de 1,3 mil quilômetros de canais, sifões e túneis e, em sua primeira etapa, serão investidos R﹩ 2 bilhões em uma extensão de 149 km de obras. O projeto, quando finalizado, levará água para 93% do Estado cearense e permitirá a adução das águas transpostas para a maioria do território cearense, inclusive para as regiões mais secas do estado, bem como para aquelas com potencial turístico e econômico.

Passarelli no setor de saneamento

A Passarelli, uma das mais tradicionais empresas no setor de engenharia e infraestrutura do País, foi responsável, desde a década de 1960, por inúmeras obras de saneamento, atuando como Epecista em projetos de Norte a Sul do País.

Dentre as principais obras na área de saneamento que a Passarelli atua no momento, destaque para o Programa Novo Pinheiros (SP), no qual participa do processo de despoluição em duas frentes - uma no córrego Pedreira/Olaria e outra no córrego Pirajuçara, com a implantação de coletores e ligações de esgoto à rede de tratamento, e o Programa de Saneamento Ambiental dos Municípios do entorno da Baía de Guanabara (RJ), com a implantação do Coletor Tronco Faria-Timbó, após a entrega do Coletor Tronco Cidade Nova - contribuindo para a despoluição de tal Baía. Também em São Paulo, atua no contrato Global Outsourcing, que cuida da manutenção corretiva, preventiva e crescimento vegetativo de água e esgoto em 14 municípios da RMSP e da região Bragantina, atendendo aproximadamente 1,8 milhões de habitantes.

Além disso, a empresa está iniciando as obras do Lote 4 e acaba de entregar as obras do lote 1 do Cinturão das Águas, considerado um dos principais projetos do Nordeste brasileiro, que permite as águas do rio São Francisco, chegarem até a população cearense, tanto para a irrigação como para o consumo; está executando as obras da Adutora do Agreste em Pernambuco, e de uma moderna Estação de Tratamento de Esgoto para a BRK em Araguaína, no Tocantins.
Foto: divulgação

Banner
Banner
Banner
Banner

Site Login